Autor: em 19/11/2017
Tags:
Categorias: Brasil

Nível de Confiança da Informação: Suposição de alta probabilidade.
Clique no link “Ir Para Fonte Original…” para ser direcionado para a matéria.

GARANTIA POLITZ: INFORMAÇÃO CAPTADA E DEVIDAMENTE VERIFICADA PELO ALGORITMO EXCLUSIVO DO POLITZ.


Desde a semana passada rola na internet notícias de que o Supremo Tribunal Federal poderá rever a decisão de prisão de condenados em segunda instância.

Infelizmente, a instituição que deveria proteger a Constituição e os interesses do povo brasileiro, continua compactuando com as práticas criminosas de políticos.

A matéria, que vai contrariar novamente os anseios populares e abalar ainda mais a credibilidade do Supremo e da própria Justiça, poderá ser revista até o primeiro trimestre de 2018.

Celso de Mello, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes – em decisões monocráticas suspenderam, nos últimos meses, a prisão de condenados em segunda instância, contrariando a decisão da Corte em 2016.

Alguns ministros ainda resistem, mas a ideia de seguir o trio está crescendo nos bastidores, segundo diversas reportagens da mainstream brasileira.

O que vocês esperavam de um Supremo feito por ministros nomeados por políticos? Nada diferente disso.

Ações apresentadas pelo PEN e pela própria OAB, pedem revisão ao STF e alegam que a decisão traz insegurança ao princípio constitucional da presunção da inocência.

Sei.

Será que a FAB vai ter que “sobrevoar acidentalmente” novamente o Supremo Tribunal Federal em uma esperança de lembrá-los qual é o papel do órgão? Quem sabe umas janelas quebradas possam ajudar, né?