Autor: em 09/04/2017
Tags:
Categorias: THE POLITZ REPORT Uncategorized

Nível de Confiança da Informação: THE POLITZ REPORT.


Olá, aqui é o Pedro Politz, o Editor do site.

Devido a importância do tema, estamos trazendo um THE POLITZ REPORT sobre o modus operandi e o sistema de cores que eles usam. Há muito o que analisar, tratem esse post como uma mera introdução. Para quem não sabe, o TPR é uma espécie de post do nosso site em que analisamos criticamente e logicamente as informações e os fatos para posteriormente, trazer o resumo e a nossa opinião.

O POLITZ nas grandes navegações pela internet descobriu um vídeo onde um manifestante de direita explica como funciona o código de cores dos membros do grupo da extrema-esquerda #Antifa.

Eles são organizados e perigoso. Há até manuais espalhados na internet explicando como são as táticas e a doutrina:

Uma breve tradução do sumário desse manual:

  • Notas Introdutórias da Edição da Segunda Emenda
  • Notas Introdutórias da Primeira Edição
  • Nosso Movimento Cresce
  • Anarquismo e o Crescimento do Movimento
  • O Desenvolvimento do Movimento
  • Nossas Comunidades Locais
  • Nas Passeatas/Demonstrações/Ações
  • A Necessidade de Desenvolvimento das Nossas Habilidades Táticas
  • Aumento da Organização das Nossas Forças de Luta Nas Ruas: A Formação de uma Central Eleita de Facilitação Tática
  • Grupos Individuais de Afinidade
  • Aglomerados
  • Reconhecimento e Comunicação
  • Reservas
  • Precauções Adicionais de Segurança: Mapas, Rádios, Identidade, Nomes, etc.
  • Comunicação
  • Princípios Anarquistas de Liderança Tática
  • Treino Físico
  • Ações
  • Preparações para o Aumento da Repressão Estatal
  • Desenvolvimento dos Nossos Entendimentos Políticos e Sociais
  • Conclusão

Para ler o documento, cliquem no link para o download. O POLITZ sempre compartilha as fontes importantes. Fiquem a vontade para ler. Caso queiram traduzir, encorajamos e publicaremos o seu material com os devidos créditos.

Há muitas fotos dos membros da #Antifa atacando policiais, ações bem parecidas que os Black Blocks fazem no Brasil. Podem conferir conosco:

Há milhares de imagens como essa espalhadas na internet. Procurem caso duvidem.

Em um dos protestos, policiais fizeram a seguinte apreensão:

Sim. Bananas de dinamite, explosivos, coquetéis molotov e cassetetes.

Ora, a #Antifa deveria ser considerada uma organização terrorista, não é? Pois bem. Alguns estados americanos já o fizeram e os americanos de bem, não satisfeitos, criaram uma petição oficial junto à Casa Branca, pedindo para que sejam reconhecidos como organização terrorista doméstica. Nesse sistema de petições, são necessárias cem mil assinaturas para que o governo americano de uma resposta. Até o momento do fechamento dessa edição do post, a petição já contava com mais de trezentas mil assinaturas. Clique aqui para ir para a petição.

Sim, eles são organizados e extremamente perigosos. Analisando rapidamente as ações deles nas passeatas da direita, é possível verificar que a única intenção deles é o caos completo através da violência:

Reparem na foto seguinte, que a #Antifa possuí até membros armados para uma guerra:

Como bem disse o escritor e pensador Thomas Wictor, uma das principais referências do POLITZ em opiniões sobre o cenário americano, os #Antifas adoram um roleplaying, fingir que são alguma coisa, mas na verdade, são um bando de amadores violentos e criminosos.

O THE POLITZ REPORT, prestando o serviço de jornalismo investigativo, descobriu um vídeo onde um manifestante explica como funciona a hierarquia e o significado de cada uma das cores. O vídeo você pode conferir no final da postagem. Obviamente, há um padrão em todos os lugares em que o #Antifa está, as cores, foram um dos primeiros padrões a serem detectados. Demonstra uma organização perigosa, provavelmente financiada por globalistas como George Soros. Pelas ações, devemos considerar o grupo com a mesma classificação do #BlackLivesMatter (que prega a morte de policiais e de brancos), #BlackBlocks, e os próprios fascistas, sendo que a #Antifa, jura que luta contra eles, usando a mesma tática de violência deles por uma ideologia diabólica.

Considerando os manuais e materiais que são divulgados nas redes sociais através da internet, eles são sim organizados e são bastante perigosos com um financiamento financeiro volumoso por baixo dos panos. Considerando essas informações, podemos sim classificar a #Antifa e os outros grupos como organizações terroristas domésticas. Nenhum grupo que tem essas características, como a incrível capacidade de mobilização, age sozinho e com “interesses coletivos”. Todos os três tem algo em comum: pregam a violência para imposição de uma agenda ideológica. Não há dúvidas que são de esquerda, lutam contra a direita sempre que podem. Enquanto a #Antifa prega um coletivismo em nome de uma distorcida ideologia, o #BlackLivesMatter prega o coletivismo através do conflito racial enquanto os #BlackBlocks agem pela simples e pura destruição do patrimônio e de vidas. Todos tem em comum a luta contra o capitalismo, os valores tradicionais, a moral religiosa, etc. Mas não é assunto para agora. O que importa para eles é: a divisão total da sociedade, seja por raças, religiões, opções sexuais, o que for, desde que dividam para tornar mais fácil o controle da sociedade. (Já escutaram essa, né? Dividir para conquistar. Pois é).

Vamos ao sistema de cores, arranhando um pouco a organização estrutural desses criminosos:

O que vocês podem perceber é que todos eles usam panos coloridos: Vermelhos, verdes, amarelos e pretos. Cada cor significa uma função dentro da #Antifa. Essas informações são baseadas no vídeo que está no final do post e em outras coberturas independentes dessas manifestações por links ao vivo, além de uma pesquisa apropriada de fontes.

  • Os Verdes: São os níveis mais baixos da hierarquia da #Antifa. Funcionam como scouts, fazendo a sondagem de possíveis vítimas e tentam entender a movimentação do “inimigo”. Observam as ações dos adversários e repassam para os “líderes”. São eles que abordam os manifestantes para “conversar e debater”. Ora, vocês sabem muito bem como é tentar “debater” com membros da extrema-esquerda. Essa é uma das suas funções: buscar, provocar e distrair cidadãos de bem para iniciar uma pequena confusão, criando um pequeno atrito e com a ajuda de outros membros, como os amarelos, para transformar em caos.
  • Os Amarelos: Possuem a função de suporte. É um nível maior que os verdes. Formam as linhas de frente do grupo, como uma infantaria rasa. Carregam escudos e objetos para se protegerem das ações da polícia. Normalmente também são eles que começam com as gritarias, xingamentos e agressões verbais após os verdes encontrarem as “vítimas”, basta uma grande reunião de pessoas, que lá estarão eles.
  • Os Vermelhos: São os mais perigosos. Segundo o relato no vídeo, os que usam essa cor são pessoas que aceitam cometer crimes em nome da causa. Tomem cuidado com esses sujeitos. São os que colocam a mão na massa e não tem medo da polícia ou de serem presos. É a grande maioria predominante das manifestações da #Antifa. O homem do vídeo pede para tomarem cuidado com esses sujeitos e aconselha a ficar longe deles.
  • Os Pretos: Possuem funções semelhantes aos vermelhos. Parecem que agem independentemente do grupo. São tão perigosos quanto os vermelhos.

O autor também conta que é muito comum ver agentes amarelos criando a confusão, para depois um agente vermelho entrar no meio e agredir a vítima violentamente. Após a agressão, os amarelos puxam o agente vermelho de volta, escondendo ele no meio do grupo, numa tentativa de impedir que os policiais localizem o criminoso.

Há muitas outras coisas, como sinais com apitos, com as mãos, bandeiras, gestos, comunicação por rádio, enfim… Temos um longo período de estudo pela frente.

Sei que parece pouco, mas Sun Tzu já ensinava no seu livro histórico, A Arte da Guerra, que uma das coisas mais importantes de uma guerra é conhecer o seu inimigo. E a #Antifa, que luta pela destruição da República, deve ser tratada como inimiga.

Percebem a organização dos membros desse grupo terrorista? Pois é. A extrema-esquerda brasileira nunca iria pensar em uma coisa dessas.

Eu já participei de protestos da extrema-esquerda no Brasil, inclusive, dentro da organização, estava infiltrado e um dia posso contar o meu depoimento se for de interesse de vocês. Posso dizer que é a organização é um caos. Se limitam a agendarem as reuniões por redes sociais, não há qualquer manual ou táticas, muito menos modos de operações. Tudo vira uma bagunça sem sentido, sem bandeiras ou sem motivação. Suas causas se limitam a lutar contra o capitalismo ou qualquer agenda como “Fora Cunha! Fora Renan” que são propagadas pela mídia globalista mainstream. Dizem que não há líderes dentro da organização, mas há sempre os cabeças que tentam colocar uma certa ordem nesse caos.

Espero que tenham gostado. Se vocês tiverem informações sobre as ações da #Antifa, não esqueçam de compartilhar e comentar.