Autor: em 09/12/2017
Tags:
Categorias: THE POLITZ REPORT

THE POLITZ REPORT:  O CASO SANTANDER COMPLETO E AS NOSSAS REFUTAÇÕES!

Nível de Confiança da Informação: Altíssima (THE POLITZ REPORT).


Olá, aqui é o Pedro POLITZ.

Trazemos mais um THE POLITZ REPORT sobre o criminoso caso da exposição do Santander, feita com dinheiro públicodestinada ao público infantil, como vocês podem ver aqui.

Após o POLITZ ter lido uma nova informação no portal mais Reaçonario do Brasil, sentimos a obrigação de trazer também para vocês, com um belo resumo exclusivo do THE POLITZ REPORT, no melhor uso de nosso #AlgoritmoPOLITZ, buscando as melhores fontes e informações sobre o caso. Como sempre, encorajamos o leitor a clicar nas fontes que postamos para conferir tudo, não omitimos nenhuma e checamos sempre todas elas.

Um breve resumo do caso:

  • 10/09/17: O POLITZ noticiou em conjunto com diversas mídias independentes o caso da exposição do Santander, feita para crianças, com muita pedofilia, zoofilia, sexualização de crianças e diversos outros crimes que mereciam que os responsáveis estivessem na cadeia.
  • 10/09/17: Após uma massiva manifestação por parte da direita conservadora brasileira, o Banco Santander decidiu cancelar a exposição. Podemos afirmar que talvez foi uma das maiores vitórias ideológicas da direita no Brasil. Conseguimos fechar uma exposição deplorável, sem ter quebrado nenhum vidro, sem ter batido em ninguém ou muito menos ter tacado fogo em nenhuma agência bancária.
  • 11/09/17: Com efeito da enorme pressão, o Banco Santander prometeu devolver o dinheiro público usado na exposição para a Receita Federal. Era o mínimo esperado que uma empresa deste porte deveria fazer.

Não houve quebra-quebra, não usamos a máquina estatal para “censurar” a exposição (como a esquerda está dizendo), apenas um boicote generalizado por parte de cidadãos comuns de bem. Alguns movimentos políticos assumiram a “autoria”. O POLITZ afirma que não houve autoria de ninguém. O boicote foi natural, causado inicialmente pela reportagem do canal Terça Livre, frente a uma exposição nojenta, condenável, criminosa e totalmente repulsiva. Obviamente, a pressão funcionou. E cá estamos.

O mais engraçado é a incoerência lógica da esquerda, que acontece a todo momento. Por exemplo, pregou a censura e um falho boicote no Festival de Cinema no Nordeste com os filmes de direita, como o documentário/filme Jardim das Aflições, que conta a obra do filósofo Olavo de Carvalho e agora condena o movimento de direita no Brasil por ter efetivamente conseguido executar o boicote. Recomendo a leitura deste post de Rodrigo Constantino que trata sobre o tema. Olhem esses prints do ~famoso crítico de cinema Pablo Villaça~ – que mostra a super coerência esquerdista:

Percebam que o discurso da esquerda é sempre usado nos momentos em que os favorecem ideologicamente, mas caso a direita faça o mesmo, é condenável, reprovável, coisa de fascista, coisa de nazista, blá blá blá. É a mesma velha máxima da democracia, onde ela só funciona para eles caso os candidatos de esquerda ganhem. Vide o caso Trump vs. Hillary nas últimas eleições americanas, onde pediram o fim dos colégios eleitorais (os mesmos que elegeram Clinton, Obama, etc). Provaram do próprio veneno.

O Vereador Fernando Holiday comentou sobre o discurso de censura usado pela esquerda:

Muitos formadores de opinião ainda estão falando que a censura não é simplesmente algo que vem do estado e que pode vir sim da sociedade organizada. Nos chamam de censores, “piores de que da ‘ditadura’ militar”. Ora bolas. Então quer dizer que se um grupo, maioria de um país, não gosta de algo ele é obrigado a aceitar calado? Colocar o rabo entre as pernas e deixar a oposição moral de nosso país fazer o que bem entender? Faça-me o favor. Chamar isso de censura é descer no mesmo nível da esquerda democrática que vem sendo exposta pelo perfil do Ódio Do Bem no Twitter.

O ordenamento jurídico de praticamente toda sociedade civilizada ocidental, me dá o total direito de livre manifestação e ainda informa que eu não sou obrigado a gostar de algo ou de alguém. A direita brasileira se mostrou organizada e atingiu seu objetivo sem o uso da violência, característica indiscutível da esquerda mundial (e brasileira), sem o uso de perseguições, de DCEs ou qualquer movimento centralizado “social”. Conseguimos o que queríamos: um grande ponto para a luta pelo respeito de nossas crianças e outro grande ponto para a direita brasileira. Estamos ganhando força, ganhando terreno, enquanto a esquerda perde cada vez mais espaço com suas depravações da sociedade civilizada.

Não se enganem com esses discursos. Somos livres para nos manifestar e temos o direito sim de promover o boicote, queiram chamar isso de censura ou não. O dia (que pode em breve chegar) que seremos obrigados a aceitar todas as imposições ideológicas da esquerda, é o dia que estaremos vivendo em uma ditadura comunista como na Venezuela.

E os crimes cometidos? O POLITZ também cita alguns crimes que os responsáveis pela exposição cometeram:

  • Crime de escárnio à religião – art. 208, Código Penal.
  • Apologia ao crime – art. 287, Código Penal.
  • Crime de pedofilia – art. 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente.
  • Zoofilia – art. 32 da Lei de Crimes Ambientais.

Os responsáveis da exposição, deveriam ser autuados em flagrante delito perante essas acusações. São vários anos de cadeia caso condenados. Os curadores responsáveis, como Gaudêncio Fidelis, são ligados ao ex-governo PT, além de serem militantes da esquerda:

A consequência para o Santander foi terrível: perderam milhares de clientes. Empresas inteiras cancelando as contas, correntistas destruindo seus cartões e até um Juiz Federal cancelou o seu vínculo junto ao banco:

A mesma esquerda, em conjunto com a mídia mainstream acusou a direita de ser nazista, de termos censurado, de sermos radicais, isso e aquilo, como vocês estão acostumados.

O escritor Flávio Morgenstern até comentou sobre:

Ora, então querer proteger nossas crianças de uma sexualização precoce, de pedofilia, de zoofilia é coisa de nazista? Nos chamem de nazistas então para isso. A esquerda continua mostrando a sua cara e perversão, que faz inveja ao próprio capiroto.

A esquerda é suja e age dessa forma. Usam até crianças como forma de conquista política, com o objetivo de destruir o instituto da família e da religião/moral católica, os transformando em objetos sexuais. É um plano comunista, mas não vem ao caso no momento. O próprio Flavio articulou que a esquerda reduz o ser humano às suas meras funções fisiológicas.

O POLITZ também ficou um pouco chateado quanto ao fato de que a mainstream ligou a exposição ao “Tema LGBT” e mais chateados ainda, com o fato, de que os grupos e movimentos LGBT não se manifestarem de nenhuma maneira sobre os explícitos casos de pedofilia, zoofilia e sexualização de crianças. Ou vocês estão concordando com isso, ou vocês não concordam. É bem simples. Holiday também comentou sobre isso:

– MAS NÃO HÁ SEXUALIZAÇÃO DE CRIANÇAS! – disse o esquerdista da Mídia Samurai, militante, 45 anos, associado ao Partido do Sol, que ainda não terminou a faculdade e mora no porão da casa de sua mãe.

Mentira. Setores da esquerda são mentirosos e nojentos. Houve sim. Há pedofilia, zoofilia por todas as partes da exposição diabólica. Milhares de crianças que visitaram o Museu Santander (levados pelos seus próprios professores de escolas públicas), foram afetadas, violadas e provavelmente carregarão os traumas pelos restos de suas vidas. Não há como reparar tamanho dano, impossível quantificar.

Deixo claro que na opinião deste humilde Editor que os militares deveriam assumir o comando das escolas públicas antes que seja tarde. Ainda há tempo. Ora, o desempenho das escolas militares é o maior no Brasil. Por que você seria contra a ideia? Nossas escolas públicas viraram um caos, uma fábrica de militantes no melhor estilo do Another Brick In The Wall do Pink Floyd, onde o desempenho de nossos alunos nos deixam nos últimos lugares nos rankings mundiais. Quem fica contra é apenas a militância esquerdista, pronta para tomar mais uma porrada na cara, como está sendo com o Escola Sem Partido. Quero ver uma competição acadêmica entre alunos de escolas públicas e até particulares, contra os alunos das escolas militares. Aposto o site inteiro do POLITZ nessa.

Voltando…

A reportagem da Reaçonaria trouxe uma notícia triste e preocupante: A exposição Queermuseu do Santander oferecia um espaço para que as crianças tivessem seus olhos vendados e posteriormente vestidas com uma roupa especial que permitia que as crianças se tocassem sexualmente

Sim.

Crianças sendo incentivadas a se tocarem sexualmente através de uma roupa confeccionada especialmente para isso. Nem o filósofo marxista italiano Antonio Gramsci, autor da estratégia do marxismo/gramscismo cultural imaginava tática para tamanha perversão, que esteja no colo do próprio capeta. Qual é a mínima justificativa psicológica, lógica ou a intenção disso? Para o museu é uma “forma de alterar as percepções de gênero”. Alterar percepção de gênero? QUE DIABOS É ISSO? Criança deveria estar na escola. Deveria estar estudando, aprendendo matemática, português, química. Mas não: estão em museus sustentados por setores ideológicos, sendo incentivados a tocarem uns aos outros sexualmente.

Vejam a foto:

Para o POLITZ, é uma experiência criminosa, doutrinando e sexualizando precocemente crianças inocentes. Sendo incentivadas por professores, artistas e militantes do progressismo cultural. Após a visita, os alunos eram forçados a fazerem um trabalho escolar sobre a experiência.

A Reaçonaria trouxe um trecho do edital de criação da Exposição Queermuseu:

O Eu e o Tu – Série Roupa-Corpo-Roupa (1967), de Lygia Clark (1920–1988), consiste em dois macacões feitos com tecido espesso e plastificado, tendo seu interior forrado com diversos materiais (saco plástico com água, espuma, palha de aço, borracha etc.). As duas peças são conectadas por um tubo de borracha, simulando um cordão umbilical. Dois capuzes são usados para cobrir os olhos e os ouvidos de quem as veste, o que faz com que os macacões possam ser vestidos por pessoas de identidades de gênero distintas.

As roupas permitem acesso ao corpo do outro por meio de seis zíperes. Ao vesti-las, os participantes identificam as aberturas e, introduzindo as mãos nelas, tocam-se, identificando sensações que alteram as percepções de gênero e permitem experimentar características que não se conformam com aspectos do feminino e do masculino. Certas noções de gênero e sexualidade são suspensas, e a normatividade passa a residir em uma condição provisional da psique.

Há também uma reportagem sobre o caso do pessoal do Jornalivre.

Onde o mundo vai parar? Quem foi o ser diabólico que inventou isso e ainda, quem foi o agente público que permitiu que uma desgraça dessas fosse aprovada e sustentada por dinheiro público? E não precisava nem ser público. Qualquer dinheiro privado que financie também deve ter os responsáveis escrachados em público e presos! Há uma degradação moral por parte da sociedade ocidental que marcará o fim de nossa civilização se essas coisas continuarem sendo permitidas, chegando em um ponto crítico, que será impossível reverter.

Obviamente a mídia mainstream está fazendo um samba do macaco maluco para condenar o posicionamento da direita no Brasil. Há reportagens de todos os gêneros, colunistas de jornais importantes tentando justificar a exposição, jornais inteiros criticando a direita, enfim, todo aquele turbilhão da máquina da mídia mainstream para tentar te convencer ao contrário, que uma exposição que faz apologia a pedofilia, zoofilia e sexualização de crianças deve ser uma coisa aceitável e que não há nada de errado nisso. Vamos citar algumas dessas informações e refutar praticamente todas elas:

Uma reportagem do jornal G1, das organizações Globo, informa que dois Promotores visitaram a exposição e declararam que “não tinha pedofilia”. Bom, dois promotores do mesmo Ministério Público, que está querendo a cabeça do rapaz que salvou a vida da modelo Ana Hickman, não era de se esperar algo diferente. Quanto a este caso, o POLITZ já trouxe um Juiz Federal que discorda dessa afirmação, diversos escritores, pensadores, até políticos e aqui, temos diversos posts de um Procurador da República também mostrando que entenderam que a exposição do Santander foi sim um caso de pedofilia, fora os outros crimes cometidos:

Tirem vocês as próprias conclusões com o vídeo do Terça Livre, onde tudo começou:

 

O Jornal Extra, também ligado as organizações Globo, publicou um artigo tentando jogar a “culpa” de toda essa ação da direita no MBL: “MBL vai fechar exposições e decidir que livros poderemos ler?”. Matéria mais tendenciosa que essa não houve. Há diversos outros setores da mainstream tentando culpar o MBL pelo fato. Quero deixar claro: todo cidadão, grupo social organizado ou não e associações tem o direito de livre manifestação e legitimidade para protestar contra qualquer coisa que discorde. Tentar crucificar um movimento social como “culpado” pelo “crime” de livre manifestação é fomentar o ódio e a raiva contra grupos que pensam diferente de você, além de contribuir para o discurso esquerdista de divisão da sociedade.

O Jornal Zero Hora aparentemente também foi um dos grandes militantes pela defesa da exposição do Santander, basta ler o conteúdo de suas reportagens em seu Twitter oficial. Para vocês terem ideia do nível de militância, o editor deste jornaleco pregou “bala nos integrantes do MBL”. Sim, um editor de jornal está pregando a morte dos integrantes de um grupo social:

E acho engraçado que ninguém está comentando isso, nem um Promotor para enquadrar o jornalista nem nada. Há apenas o “ódio da direita” nas streams da rede mundial de computadores.

Joel Pinheiro da Fonseca também escreveu um lamentável artigo na Folha de São Paulo sobre o assunto. Sentimos obrigação de refutar o articulista, tamanho absurdos que escreveu. Postamos o parágrafo em questão e pequenos grifos textuais para indicar minhas refutações:

A direita aprendeu direitinho com a esquerda como fazer militância agressiva. Primeiro encontre um alvo: a exposição “Queermuseu” do Santander Cultural em Porto Alegre, que trazia obras sobre sexualidade e expressão de gênero. Invente acusações absurdas e sensacionalistas: a de que a mostra incentivava pedofilia e zoofilia. Alimente teorias da conspiração, como a de que os grandes bancos promovem valores “marxistas” para destruir a sociedade. Finalmente, chame atenção: denuncie, lance abaixo-assinado, boicote, faça protestos, promova a reação irrefletida das massas.

Como assim aprendeu com a esquerda? Então significa que protestos e manifestações livres é um direito só da esquerda? O alvo que você quer dizer então é um museu que trata sobre a sexualização precoce de crianças, pedofilia e zoofilia: Ok. Concordamos com isso. Acusações absurdas? Acho que o meu artigo mostrou muito bem quem está do lado de quem quanto a pedofilia e zoofilia. E teorias de conspiração? Por favor. Os tempos mudaram, a mainstream não domina os meios culturais sem concorrência. Chamar de teoria da conspiração o Gramscismo/Marxismo Cultural só mostra que o autor é no mínimo um ignorante quanto ao tema (ou que fica trancado dentro de uma bolha do pensamento da esquerda dominante) ou é um agente doutrinador deste movimento. Estudar o marxismo cultural deveria ser obrigação de qualquer um. Leia ao menos O Mínimo Que Você Precisa Saber Para Não Ser um Idiota de Olavo de Carvalho ou outras milhões de publicações sobre o assunto. Nós sabemos muito bem a estratégia do progressismo cultural e estamos aqui exatamente para desmascarar ela. E quando ao “Finalmente…” – do denunciar, abaixo-assinados, boicote e protestos são todas ações legais, previstas em nosso ordenamento jurídico onde qualquer cidadão tem o direito de usá-los quando achar necessário. O autor tentou colocar esse direito, tão falado neste post, como uma atitude agressiva. Para ele, usar dos meios de um estado democrático de direito é ser agressivo.

O Movimento Brasil Livre (MBL) está se especializando nesse tipo de atuação para ganhar espaço. Neste caso, apropriou-se dos protestos de grupos cristãos e bolsonaristas, aumentando seu alcance pelo Brasil. Entenderam a lógica de nossa democracia do grito: o poder não é da maioria, e sim das minorias organizadas e barulhentas. E se tem uma coisa que o MBL sabe fazer é barulho.

Afirmo novamente e quero ver quem pode me provar que o MBL que começou com esse protesto. Isso é #fakenews. O assunto só se transformou em mainstream depois que o Terça Livre realizou a sua publicação. Novamente, é uma pífia tentativa de encontrar culpados e um Judas para crucificá-lo, enquanto o ódio da esquerda é canalizado nesses jovens. Por que o MBL? Simples. É o grupo de oposição (centro-direita?) mais conhecido. Falar em MBL em setores de esquerda hoje é a mesma coisa que encontrar o Santo Graal dos motivos que levam a direita a ganhar espaço. O MBL comete alguns erros sim e mesmo que tivesse sido o principal responsável pela vitória, não teria feito nada de errado.

Se o MBL está aumentando o seu alcance pelo Brasil, é mérito deles. Também é mérito dos grupos cristãos e conservadores e bolsonaristas, que segundo últimas pesquisas, colocam Bolsonaro no topo da corrida presidencial. Isso não é minoria. É uma bela maioria que esteve silenciosa por anos e finalmente ganha audiência, seja por grupos religiosos, políticos ou movimentos sociais organizados. Chega a ser patético pensar que a democracia não se faz através de ações organizadas de grupos organizados ou não. A esquerda usou isso desde o período militar e usa até hoje. A direita demorou, mas aprendeu. É assim que funciona e é assim que o jogo democrático é jogado no Brasil. Tem as críticas? Tem. Mas não difere nada de qualquer outra democracia ocidental. Se quisermos espaços na democracia, devemos nos organizar e assim está sendo feito. Gritar ou falar baixo não muda e nem tira o mérito. Por que não condena também a esquerda e a sua máquina de destruir reputações? Usada incansavelmente por todos esses tempos que a esquerda era dominante? Muito bem colocada no livro de Romeu Tuma Júnior, com 100% de avaliações positivas, o famoso best-seller Assassinato de Reputações.

Infelizmente, funcionou. O Santander botou o rabo entre as pernas e encerrou a exposição. O medo fala alto, como falou em 2014 quando o banco demitiu uma funcionária que ousou apontar o efeito negativo de Dilma sobre a economia. Primeiro o PT, agora o MBL. Quando o mero fato de se sentir ofendido dá esse tipo de poder, pode apostar que as pessoas ficarão cada vez mais ofendidas com cada vez menos.

Infelizmente funcionou (cancelar a exposição), disse o autor. Chega a ser medonho pensar que existem pessoas que podem estar defendendo uma exposição com esse conteúdo, voltado para crianças. Uma exposição que incentivava crianças a se tocarem sexualmente. Porra! Saiam de perto dos meus futuros filhos, sobrinhos ou crianças que tenho qualquer responsabilidade. Quem manipula a mente de crianças para se tocarem sexualmente não merecem qualquer espaço no convívio de uma sociedade. Devem ser trancados em um hospício. Não consigo achar uma justificativa para que as pessoas achem ruim que a exposição tenha sido cancelada. Vocês estão do lados dos pedófilos? Só pode. O autor fez uma bela inversão quanto a funcionária que foi despedida por ter apontado os efeitos negativos da economia impostos pelo governo de Dilma, quase que dando a impressão que a culpa foi do MBL por ela ter sido sumariamente despedida por estar fazendo o próprio trabalho, enquanto, ahm, sabemos que… alguém deve ter ligado para um diretor de um certo banco e xingado muito, não é mesmo. Para quem fazia isso até com a camareira do Palácio, imagine neste caso. Rs.

Posteriormente o autor fala em “pessoas cada vez mais ofendidas”. Senhor, preste atenção: a divisão da sociedade por pretos e brancos, religiosos e ateus, homossexuais e heterossexuais, com terras e sem terras, mulheres e homens, nunca foi e nunca será uma política de direita. A direita prega igualdade e isonomia total, sem distinguir ninguém como a esquerda faz. Isso é estratégia esquerdista, coisa de Stálin. Você deveria estudar história e ver exatamente o que Stálin fez nas suas épocas da falida União Soviética. A política de vítimas que você tanto fala é a política que o governo PT implantou no país na última década. Você não nos engana.

Há uma justiça cósmica aí. A mesma esquerda que faz protesto contra filmes, livros, músicas e até piadas consideradas ofensivas agora prova do seu próprio veneno. O saldo final, contudo, é negativo; a cultura sai perdendo. A boa arte não se pauta pela correção política. Ela por vezes choca a fé ou a moral vigente; tem bom ou mau gosto, atira para todo lado. A perda de uma produção cultural independente de agenda ideológica é um dos piores sintomas da polarização.

Temos que concordar neste ponto. Mas devo acrescentar: a esquerda vive de fazer oposição para absolutamente tudo que não sirva para a ideologia deles. E entendendo como eu e como muitos outros pensadores, essa ideologia só trouxe desgraça por onde passou no mundo, basta uma rápida pesquisa. Não acredito que a cultura sai perdendo. Prefiro optar por uma cultura que defenda as nossas crianças de maníacos sexuais, da doutrinação, da exposição sexual e a própria sexualização precoce de crianças inocentes. E a boa arte se pauta sim pela bela arte. Essa tal arte modernista como chamam, deixo para vocês, como a Peça Macaquinhos, patrocinada com dinheiro público também, que mostram as pessoas enfiando o dedo no cu dos outros em nome da ideologia de gênero:

Peça Macaquinhos, onde os atores exploram as cavidades anais dos outros. Típico caso de “arte moderna” defendida pela esquerda. Segundo a reportagem, os idealizadores do projeto, a apresentação tem o intuito de “ensinar que existe ânus, ensinar a ir para o ânus e ensinar a partir do ânus e com o ânus“. Uma outra peça teatral moderna, defendida pelos setores da esquerda, tem o foco nos artistas enfiando objetos nos cus alheios. Mas que arte mais magnifica essa, né? A reportagem informa que os produtores queriam “questionar as relações da sociedade“.

Os pais desses artistas devem estar morrendo de orgulho, não é? Vendo o próprio filho enfiar objetos no cu para tentar questionar as relações da sociedade, seja lá qual questionamento cagado (literalmente) foi esse. Essa é a arte que a direita protesta contra. Fico desse lado. Ver quem quer. Mas morrerei lutando pelo direito dessa livre manifestação e até mesmo, de condenar e criticar tais artes quando eu bem quiser. Nunca mais venha nos falar o que podemos e o que não podemos criticar. Da mesma forma que o “artista” tem o direito de chamar essa bosta de arte, por mais cagada que seja, eu tenho meu total direito de criticar essas porcarias.

E a liberdade de expressão? O MBL não tem o direito de protestar? Claro que tem. Não estou propondo que protesto e boicote sejam proibidos. Estou apontando como esse uso militante deles leva à degeneração da cultura. Sem esquecer que, para alguns, a intenção é silenciar pela força mesmo. O blogueiro Felipe Diehl disse que o curador Gaudêncio Fidélis deveria ser preso. O deputado estadual Marcel Van Hattem (PP) quer que o Estado puna o Santander. Indo do discurso à prática, algum revoltado pichou uma agência bancária próxima. “Banco pedófilo”. Há relatos de agressão verbal a visitantes. Liberdade de expressão não é o forte dessa turma.

Opa, mais uma concordância de nós dois. Todos temos o direito de protestar e de liberdade de expressão. Quanto a degeneração da cultura? Bem… Trouxe dois exemplos recentes aqui para você de uma cultura bastante degenerada, sem contar o teor inteiro deste post. Poderia me mostrar outras grandes sucessos culturais da esquerda? Em 5 minutos no Twitter do POLITZ podemos fazer um levantamento junto a comunidade de seguidores para mostrar as grandes conquistas culturais da esquerda. Ah, lembrei de mais uma: o funk. Boa cultura essa né. Sexualização infantil, objetificação sexual de mulheres, apologia ao crime, tráfico de drogas, temos uma lista grande pela frente…

Prometo que vou parar, mas vou trazer outro exemplo da magnífica cultura da esquerda no Brasil, propagada em nossas Universidades Públicas, que são fábricas de militantes esquerdistas, confira comigo o perfil Antes e Depois da Federal.

Lembrando que o perfil agrega imagens públicas de redes sociais que mostram acadêmicos antes de entrar em uma Universidade Federal e depois de ingressarem. Bela cultura. Magnífica. Estão de parabéns. Isso é arte, devemos torcer que nossos filhos sigam os mesmos caminhos que esses pobres coitados, não é mesmo? Que Deus me livre que essa desgraça um dia possa atingir minha família.

Liberdade de expressão não é o forte dessa turma? Toma vergonha. Não tem grupo hoje no Brasil que mais luta pela liberdade de expressão total do que a direita. A esquerda criou todos os “fóbicos” possíveis com a estratégia do politicamente correto para censurar e calar todos que discordem de suas ideologias. Não passe vergonha, caro autor. Partidos de esquerda discursam em tentar “regular a mídia”. Até o Lula, representante máximo deste grupo disse recentemente que “está ficando mais ‘maduro’ e que vai regular a mídia”. Ficou MADURO? ENTENDEU OU QUER QUE DESENHE? Toma a porcaria do vídeo desse projeto de ditador comunista chamado de Lula, que vocês da Folha de São Paulo passaram 16 anos lambendo as bolas (e ainda passam) desse criminoso condenado:

O que você acha que é regulação de mídia para a esquerda? Pergunte a Venezuela. Não se faça de desonesto. Você sabe muito bem como a esquerda regula o discurso. Todos nós sabemos. Basta uma opinião contrária da de vocês que somos os nazistas, fascistas, todos esses istas e fóbicos que somos chamados diariamente.

Quantos vídeos existem na internet de integrantes da direita sendo agredidos pela esquerda? NO MUNDO INTEIRO! Há milhares de vídeos! Suba a minha coluna e leia o que o pessoal do Ódio do Bem está expondo. TODOS, sem exceção, todos manifestantes da esquerda democrática! Não vejo a direita fazer isso nem aqui nem na China (aliais, na China, a direita lá tenta lutar pela democracia, mas a ditadura do partido comunista [de esquerda, viu?!] lá ainda é forte). O dia que a direita partir para o uso de estratégias da esquerda, teremos o prazer de mostrar aqui e também criticar. Por enquanto, também não apareceu nenhum perfil no Twitter para expor o ódio dos integrantes da direita.

É possível ser liberal na economia e ter mentalidade autoritária. Precisamos, desesperadamente, cultivar valores liberais; ou, melhor dizendo, simplesmente maduros: sim, existem no mundo pessoas e obras contrárias aos meus valores, e nem por isso procurarei suprimi-las a todo custo. Vivemos melhor quando buscamos conhecer, criticar e conviver em paz.

E por fim, a conclusão do autor. Digna de uma redação nota 1000 do ENEM. Meus parabéns. Você foi aprovado em uma universidade federal. Mas tenho que concordar com você novamente (e em partes). Há sim pessoas e obras no mundo que são contrárias aos meus valores, e eles tem o total direito de divulgá-las. Mas partindo do momento em que essas pessoas e obras possam atingir o meu meio, a minha família ou de alguma forma, tentam atacar o que eu acredito, eu vou tentar suprimi-las a todo custo legal possível. E nós dois sabemos quais são as intenções da esquerda no mundo. Não se faça de desentendido. O globalismo marxista existe.

Ao fim deixo os companheiros de vocês para os leitores curtirem mais uma bela obra cultural e artística dessa admirável cultura nova:


Acho que com isso vocês já tem uma noção de como está a repercussão do assunto. Para mais, basta usar ferramentas de pesquisa para procurar, mas temos certeza que esse é o post mais completo que existe na internet sobre o assunto, graças aos diversos parceiros da mídia independente como a Reaçonaria, o RENOVA e o JORNALIVRE.

Deixamos uma sugestão, viralizada pela internet:

A esquerda quer uma cheque em branco com o uso da “arte”, para justificar a pedofilia e a zoofilia, fora as constantes tentativas de sexualização das crianças. Usam novelas, a mídia mainstream, televisão, música e praticamente todos os meios culturais conhecidos para subverter a sociedade. É a hora da direita brasileira continuar lutando, dia após dia, em uma guerra cultural que levará décadas para obter a vitória. Não podemos descansar, ou o seus filhos e filhas serão os próximos. E depois disso, não terá mais volta. Basta verificar o perfil do Antes e Depois da Federal.

ATENÇÃO: Caso tenha notado algum erro neste artigo, por favor nos informe através do link de CONTATO. Teremos o prazer de corrigir qualquer omissão de fonte, de informação, erros, grafias ou qualquer outro equívoco que aparecer. Fiquem a vontade.