Coube novamente ao POLITZ desmentir uma série de desinformações que estão sendo vinculadas, especialmente pela mídia mainstream e outros setores da esquerda.

Em uma rápida pesquisa, é possível encerrar o assunto rapidamente: cantar o Hino Nacional nas escolas públicas e particulares já é obrigatório desde 2009.

E a lei foi aprovada em 2009 pelo próprio governo de Luiz Inácio Lula da Silva, Presidente da República na época (e que hoje se encontra encarcerado devido a sua condenação por corrupção).

Vejam conosco:

Primeiramente é necessário ler a Lei n. 5.700 de 1971, ela trata especificamente sobre a forma e apresentação dos Símbolos Nacionais e dá algumas providências. Basicamente a lei informa alguns comandos quanto os símbolos nacionais, como a bandeira, o hino e a obrigatoriedade de se ensinar sobre esses assuntos nas instituições de ensino. Vejam o art. 39:

Art. 39. É obrigatório o ensino do desenho e do significado da Bandeira Nacional, bem como do canto e da interpretação da letra do Hino Nacional em todos os estabelecimentos de ensino, públicos ou particulares, do primeiro e segundo graus.

Vocês podem clicar no link oferecido para irem diretamente ao site do Planalto, conferindo com os próprios olhos.

Porém, em 2009, ano em que o Lula da Silva governava, o Vice-Presidente na época, José Alencar, decretou a Lei de n. 12.031.

Ela alterou a lei anterior (n. 5.700/71), adicionando um Parágrafo Único ao já citado art. 39, comandando o seguinte:

Parágrafo único: Nos estabelecimentos públicos e privados de ensino fundamental, é obrigatória a execução do Hino Nacional uma vez por semana.

Como podem notar, tal lei tornou obrigatório a execução do Hino Nacional nas escolas públicas e privadas de ensino fundamental.

Ou seja: é a choradeira esquerdista de sempre, sem motivos.

Já explicamos ontem em tweet que em nenhum momento a carta do Ministério da Educação obrigava os alunos a repetir o slogan da campanha do atual presidente:

Obviamente a frase “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos” se tratava apenas de uma finalização do documento amplamente usada pelos Ministérios da base governista;

Porém, de forma prudente, o MEC hoje resolveu enviar uma nova carta após a ~grande polêmica~ criada artificialmente pelos setores esquerdistas. Vocês podem conferir aqui:

Fora solicitado também que se autorizado pelos pais ou responsáveis dos alunos, as escolas filmassem pequenos trechos da execução do hino.

Fim da história.


Você gosta do nosso trabalho? Que tal contribuir conosco? Somos uma mídia independente que não recebe dinheiro de políticos.

Considere nos apoiar com qualquer valor clicando aqui.


Não esqueça de visitar o #FórumPOLITZ, a comunidade que mais cresce no Brasil!