Sobre Ministros, Traições e Refogado

Acabei de ler a matéria da Veja sobre os áudios trocados entre Bolsonaro e Bebianno. Seu enunciado dá a entender que Jair mente ao afirmar que não conversou com o ex-ministro e a própria matéria com os áudios de WhatsApp é um esforço de Bebianno neste sentido, de “desmentir” o capitão.

Lambendo suas feridas, o ex-ministro tem dito que se sente traído pelo núcleo familiar e que sempre foi leal ao Capitão. Contudo, por si só, a entrega dos áudios para a matéria de Veja, deixa claro qual é a intenção de Bebianno, nada republicana. Afinal de contas, se tudo não passou de uma difamação e posterior queda articulada por Carlos, filho do presidente, Bebianno não teria vazado os áudios provando na prática que seu desafeto do Clã dos Bolsonaros sempre esteve certo. Porém meus amores, enquanto tomo meu chimarrão e as crianças brincam no quintal, lembro que meu desejo é repousar o parlar sobre o conteúdo da matéria e o objeto da questão: o caso envolvendo as campanhas em Pernambuco e a fala do ex-ministro para o jornalista da Globo “não há crise, só hoje falei com ele 3 vezes”.

A matéria traz áudios de conversas entre Bebbianno e o Presidente, no intuito de dar fé a afirmação feita para o jornalista e que iniciou toda a discórdia. Nos áudios, será de conhecimento do ouvinte 3 assuntos distintos: A reunião com Paulo Tonnet, do Grupo Globo; A viagem para a Amazônia e a noticia plantada na Folha e replicada pelo O Antagonista sobre a tentativa de conversa com Jair. Há também uma DR, mas isso entendo ser irrelevante. Bom, mas e onde estão as conversas sobre o caso das candidaturas de Pernambuco, o tal do Laranjal do PSL? Pois é, este é o cerne da questão.

Ele não é O MOTIVO PELO QUAL Bebianno entra em contato com o Presidente, como podemos observar na sequência dos áudios. O que se vê é uma serie de mensagens trocadas, com assuntos distintos, sendo um deles a crise que se instala entre os dois depois da afirmação “Não há crise nenhuma, só hoje eu conversei 3 vezes com o presidente”. É aqui que devemos debruçar nossa atenção. Ao responder isto aos jornalistas, Bebianno de maneira muito sutil tenta tragar Jair ao núcleo do problema envolvendo as doações no estado de Pernambuco (suspeitas que estão sendo investigadas pela PF a pedido do próprio presidente) dividindo a responsabilidade com alguém que não teve envolvimento algum com o caso e de maneira ardilosa dando a entender ao mesmo tempo que é um pacificador agindo para proteger Jair da crise.

É o bom e velho “cair atirando”.

O resto é simples de entender. Carlos vendo o óbvio, frita o ex-ministro nas redes sociais, provando que Bolsonaro JAMAIS CONVERSOU 3 VEZES com ele sobre a questão das doações de Pernambuco e que quando o assunto foi conversado pelos dois foi a respeito de como o ex-ministro estava utilizando Jair como escudo para se proteger das acusações.  

Ao meu ver, nesta história toda, a única crise que se apresenta diz respeito a mim e minha namorada, que está levemente chateada porque deixei o chimarrão esfriar enquanto escrevia estas linhas.

Que Deus abençoe a todos.


Você gosta do nosso trabalho? Que tal contribuir conosco? Somos uma mídia independente que não recebe dinheiro de políticos.

Considere nos apoiar com qualquer valor clicando aqui.


Não esqueça de visitar o #FórumPOLITZ, a comunidade que mais cresce no Brasil!