Ops! Empregados da Amazon estão escutando as conversas gravadas pela Alexa

Publicado em 10/04/19.

Mais uma notícia que o POLITZ vem trazendo com exclusividade. Dessa vez é da independente Zero Hedge. Vamos lá:

A Amazon emprega milhares de empregados para escutar o que as pessoas no mundo estão conversando com a assistente digital Alexa, de acordo com a reportagem do site Bloomberg, que cita sete pessoas que trabalharam no programa.

O trabalho deles é “melhorar a experiência” da Alexa – que é a carro chefe de seus alto-falantes inteligentes, o Echo. O time de funcionários “escuta as gravações dos donos das caixas Echo em suas casas e escritórios” que posteriormente são transcritas, anotadas e enviadas para as equipes de software na intenção de “melhorar” o entendimento da Alexa em relação à fala. Em outras palavras, humanos estão efetivamente ajudando a treinar o algoritmo da Amazon.

A reportagem da Amazon disse:

“Nos materiais de marketing da Amazon, eles afirmam que a Alexa ‘vive nas nuvens e sempre está ficando mais inteligente’ – mas como muitas ferramentas criadas para aprender com a experiência, humanos estão fazendo parte desse ensinamento”

O time de “ouvintes” são contratados pela Amazon e estão espalhados no mundo todo, incluindo Índia, Romênia, Boston e Costa Rica.

Eles trabalham por períodos de até nove horas diárias e recebem em média mil áudios por turno, de acordo com os funcionários entrevistados, ouvindo até mesmo as conversas mais pessoais possíveis de seus usuários.

De vez em quando os ouvintes acabam escutando áudios contendo crimes perturbantes, como foi o caso de dois empregados que escutaram o que pareceu uma “agressão sexual”.

De acordo com a reportagem, quando isso acontece, os empregados mencionam isso em uma sala de chat interna para “aliviar o estresse”. Quando os funcionários questionam a Amazon sobre o que fazer quando isso acontece, a empresa afirma que “não é o trabalho da Amazon interferir nisso”.

O porta-voz da Amazon que foi entrevistado pela Bloomberg afirmou que a empresa “leva muito a sério a privacidade de seus consumidores e cuida de forma séria das informações pessoais de cada um”.

Ele disse:

“Nós apenas registramos pequenos pedaços de áudio da Alexa, na intenção de melhorar a experiência do consumidor […] nós temos uma política de tolerância zero para abusos em nosso sistema. Os empregados não possuem acesso direto à informações que possam identificar alguém. Toda a informação captada é tratada com confiança e usamos autenticações de vários fatores para restringir o acesso, além de criptografia e constantes audiências sobre o nosso ambiente para proteger tudo isso”

O problema é que a Amazon aparentemente não menciona o fato de que humanos estão ouvindo as conversas gravadas pelo Alexa. Ao invés disso, eles possuem uma afirmação genérica no banco de dados de suporte técnico afirmando:

“Nós usamos as suas interações com a Alexa para treinar o reconhecimento de fala”

No mês de maio desse ano, o Amazon Echo gravou a conversa entre um marido e sua esposa e acabou enviando por engano para um contato. A alegação da Amazon é que alguém usou a palavra “Alexa” no meio da conversa e acabou “ligando” o dispositivo.

Tá certo.

Se alguém nos der de presente um negócio desses eu taco fogo na caixa sem olhar para trás.

O POLITZ separou alguns vídeos bizarros da Alexa rindo de forma assustadora sem motivo aparente:

Alguém quer de presente? Deixe o seu comentário e cuide da sua privacidade.


Você gosta do nosso trabalho? Que tal contribuir conosco? Somos uma mídia independente que não recebe dinheiro de políticos.

Considere nos apoiar com qualquer valor clicando aqui.


Não esqueça de visitar o #FórumPOLITZ, a comunidade que mais cresce no Brasil!