O candidato Jair Bolsonaro pode ter seguido o conselho que o POLITZ deu, quando realizamos a nossa tradicional cobertura no #DebateBand.

Na última semana a emissora Band promoveu um debate entre os presidenciáveis. Durante o programa, Guilherme Boulos afirmou que Jair Bolsonaro era “racista” e “corrupto”, cometendo o crime de calúnia, já que Jair Bolsonaro não é condenado por nenhuma dessas afirmações.

Todos nós sabemos como a esquerda usa certas definições e adjetivos para sabotar qualquer pessoa que vai contra os pensamentos de esquerda.

Durante a cobertura, o POLITZ sugeriu um processo por calúnia contra o candidato comunista e invasor de propriedades:

Nossa ideia foi curtida por mais de mil internautas.

E hoje, segundo a reportagem da FPI, Bolsonaro decidiu que vai sim processar o criminoso.

A FPI publicou uma nota do PSOL:

De processo Bolsonaro entende: réu no STF, recordista de processos no Conselho de Ética da Câmara, está sempre enrolado. Por ter dito em abril de 2017 que “afrodescendentes” quilombolas “não fazem nada e nem para procriador (sic) eles servem mais” e que as reservas indígenas e quilombos atrapalham a economia do país foi condenado a pagar 50 mil reais de indenização por danos morais coletivos a comunidades quilombolas e à população negra em geral. Qualificá-lo como racista é o mínimo que os defendem a democracia e os direitos humanos devem fazer“.

Será que Bolsonaro seguiu o conselho do POLITZ?

Qual é a sua opinião?