ATUALIZAÇÃO 21h11m: Segundo a FPI, um recepcionista registrou por engano a entrada de Adélio Bispo de Oliveira na Câmara, no dia do atentado.

Ele afirma que o funcionário recepcionista foi consultar no sistema o nome do criminoso que atacou Bolsonaro e acabou registrando a entrada por engano.


A bomba é exclusividade do jornalista Claudio Dantas, para O Antagonista.

Um documento oficial foi enviado ao terceiro-secretário, deputado JHC, que atendeu à solicitação da mídia O Antagonista por todos os registros de visitação do criminoso Adélio Bispo.

Olhem o trecho da reportagem:

Constatou-se a existência de mais dois registros de entrada referentes à pessoa do Senhor Adélio, ambos datados do dia 6 de setembro de 2018, dia em que fora efetuada sua prisão no estado de Minas Gerais, em decorrência do atentado ao deputado Bolsonaro”.

O documento foi escrito pelo Diretor Paul Pierre Deeter.

Não é possível Adélio estar na Câmara dos Deputados, o próprio diretor desconfia que os registros tenham sido forjados.

Há uma grave e séria possibilidade de que tentaram forjar um álibi para o criminoso terrorista que atentou contra a vida de Jair Bolsonaro.

Parte do documento:

A informação reforça a tese de que há realmente uma possibilidade de que gente “grande” está por trás da tentativa de assassinato de Jair Bolsonaro.

Vamos aguardar a Polícia Federal.