Acho que a Marina Silva percebeu o quanto ela é irrelevante para uma disputa eleitoral como essa.

Segundo a FPI, a presidenciável ingressou com uma ação no TSE contra o internado Jair Bolsonaro por “orquestrar um ataque hacker à página de Facebook ‘Mulheres Contra Bolsonaro”.

A candidata da Rede pede para que a Justiça Eleitoreira investigue possíveis atos de abusos dos meios de comunicação por Bolsonaro, seu filho Eduardo e o vice, Gen. Mourão.

Marina alega que ainda que não se confirme a participação de Bolsonaro e aliados no ataque hacker, o candidato do PSL obteve vantagem eleitoral com esse caso.

Para a candidata, ao reproduzir o ataque em suas redes, Bolsonaro “agiu de forma sarcástica, buscado se valer do episódio, sem qualquer pudor, para tentar alavancar a sua campanha”.

Marina está desesperada. Ela quer criminalizar o sarcasmo.